Notícias Saúde

Dia Mundial da Fibromialgia: pacientes crônicos exploram opções de tratamento em meio à pandemia

 

Fibromialgia é lembrada neste 12 de maio , dia mundial da doença . Preocupados com o COVID-19, muitos pacientes crônicos deixam de buscar ajuda médica por medo de contaminação.

Mais de 150 milhões de pessoas sofrem de Fibromialgia no mundo, entre dois e quatro por cento da população mundial. No Brasil, segundo o estudo A prevalência da Fibromialgia no Brasil* se estima que existam 4 milhões de pacientes. Destes, entre 75 e 90% dos afetados são mulheres. Entre os principais sintomas da fibromialgia estão as dores intensas e incapacitantes, sem causa aparente e que frequentemente causam dificuldades na obtenção de um diagnóstico. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) , a doença causa dor crônica disseminada por vários pontos do corpo, especialmente tendões e articulações, além de fadiga, distúrbios de sono e alterações de humor.

De acordo com o médico e diretor associado global da Spectrum Therapeutics, Dr. Wellington Briques, por causa da pandemia do COVID-19 muitos pacientes, incluindo os que sofrem de dores crônicas, pararam de buscar ajuda médica. “A epidemia faz com que muitos diagnósticos atrasem, pois as pessoas tem medo de buscar ajuda médica. Por isso é importante reforçar o conhecimento das doenças, como é o caso da Fibromialgia, que é lembrada mundialmente no dia 12 de maio”, afirma o especialista.

 

 

Entre os mais recentes estudos do combate à Fibromialgia, os produtos medicinais à base de cannabis vem se mostrando potenciais aliados no tratamento dos sintomas. “Há um estudo recente que eu utilizo como referência. Publicado este ano de 2020 pelo Clinical and Experimental Rheumatology , o estudo Adding medical cannabis to standard analgesic treatment for fibromyalgia conclui que a terapia com cannabis medicinal oferece uma possível vantagem clínica em pacientes com Fibromialgia, especialmente naqueles com disfunções do sono. A fibromialgia é uma condição médica complexa que é normalmente tratada pela melhoria da qualidade do sono, diminuição da massa corpórea (por meio de exercício regular) e diminuição da dor. A cannabis pode ter um papel essencial no tratamento da fibromialgia porque atua no distúrbio do sono e no tratamento da dor crônica. Embora na prática clínica se observem melhorias significativas nos sintomas da fibromialgia com o uso dos canabinóides, são necessários mais estudos para determinar o perfil e as dosagens adequadas do produto” completa o especialista, que é diretor médico da divisão de medicina canabinóide da Canopy Growth, multinacional do setor de cannabis.

O médico reforça os benefícios dos canabinóides para o controle da dor crônica em geral. Segundo um levantamento recente do Ministério da Saúde, a prevalência de dor crônica variou de 29% a 73% em diferentes estados brasileiros, tendo afetado mais mulheres que homens e sendo a região dorsal/lombar o alvo das queixas mais frequentes. “Os índices são alarmantes e preocupantes, especialmente em uma época de pandemia, onde os serviços de saúde estão sofrendo uma enorme pressão. É preciso buscar novos tratamentos, com mais benefícios e menos efeitos colaterais, e os canabinóides têm se mostrado uma boa opção para a maioria dos casos”, completa.

Fonte Assessoria

 

Por: Marco Gouveia

Receba as edições impressas da Revista PCD na sua casa!

Newsletter

Cadastre-se e fique por dentro das novidades!

Quer receber as novidades sobre o universo PCD no seu e-mail? Cadastre-se abaixo:

/* ]]> */